SETE RAZÕES POR QUE UM CIENTISTA ACREDITA EM DEUS

SETE RAZÕES POR QUE UM CIENTISTA ACREDITA EM DEUS

Por A. CRESSY MORRISON,
Ex-presidente da Academia de Ciências de Nova York1
NÓS AINDA ESTAMOS NO AMANHECER da era científica, e todo o aumento da luz revela mais e mais a obra de um Criador inteligente. Nós fizemos descobertas estupendas; com um espírito de humildade científica e de fé fundamentada no conhecimento estamos nos aproximando de uma consciência de Deus.

Para mim, eu conto sete razões para minha fé:

Primeiro: Através da lei matemática podemos provar sem erro que nosso universo foi projetado e foi executado por uma grande inteligência de engenharia.

Suponha que você coloque dez centavos, marcados de um a dez, em seu bolso e lhes dê uma boa agitada. Agora tente pegá-las na ordem de um a dez, pegando uma moeda a cada vez que você agita o bolso.

Matematicamente sabemos que a chance de pegar a número um é de um em dez; de pegar a um e a dois em seqüência é de um em 100; de pegar a um, dois e três em seqüência é de um em 1000 e assim por diante; sua chance de pegar todas as moedas, em seqüência, seria de um em dez bilhões.

Pelo mesmo raciocínio, são necessárias as mesmas condições para a vida na Terra ter acontecido por acaso. A Terra gira em seu eixo 1000 milhas por hora no Equador; se ela girasse 100 milhas por hora, nossos dias e noites seriam dez vezes mais longos e o Sol provavelmente queimaria nossa vegetação de dia enquanto a noite longa gelaria qualquer broto que sobrevivesse.

Novamente o Sol, fonte de nossa vida, tem uma temperatura de superfície de 10.000 graus Fahrenheit, e nossa Terra está distante bastante para que esta “vida eterna” nos esquente só o suficiente! Se o Sol desse somente metade de sua radiação atual, nós congelaríamos, e se desse muito mais, nos assaria.

A inclinação da Terra, inclinada a um ângulo de 23 graus, nos dá nossas estações; se a Terra não tivesse sido inclinada assim,vapores do oceano moveriam-se norte e sul, tranformando-nos em continentes de gelo. Se nossa lua fosse, digamos, só 50.000 milhas mais longe do que hoje, nossas marés poderiam ser tão enormes que duas vezes por dia os continentes seriam submergidos; até mesmo as mais altas montanhas se encobririam. Se a crosta da Terra fosse só dez pés mais espêssa, não haveria oxigênio para a vida. Se o oceano fosse só dez pés mais fundo o gás carbônico e o oxigênio seriam absorvidos e a vida vegetal não poderia existir.

É perante estes e outros exemplos que não há uma chance em um bilhão que a vida em nosso planeta seja um acidente.

Segundo: O desenvolvimento da vida para realizar seu propósito é uma manifestação de uma inteligência.

O que a vida é, nenhum homem descobriu. Não tem peso, nem dimensões, mas tem força; uma raiz em crescimento rompe uma rocha. A vida conquistou a água, terra, ar e dominha os elementos, compelindo-os a se dissolverem e mudarem conforme suas combinações.

A vida, escultor, molda todas as coisas vivas; artista, projeta todas as folhas de uma árvore e as cores de cada flor. A vida é um músico e ensina cada pássaro a cantar sua canção de amor, os insetos a se chamarem para cantarem. A vida é um sublime químico e dá gosto da frutas e especiarias, perfume às rosas, muda a água e ácido carbônico em açúcar e maderia e, assim, lançando oxigê nio para que os animais possam ter vida.

Veja só uma gota quase invisível de protoplasma, transparente, como uma jóia, capaz de movimento, puxando energia do Sol. Esta única célula, este névoa-igual droplet transparente, segura dentro de si mesmo o gérmen de vida, e tem poder para distribua esta vida para toda coisa vivente, grande e pequeno. Os poderes deste droplet são maiores que nossa vegetação e animais e as pessoas, para toda a vida veio disto. Natureza não criou vida; pedras fogo-empoladas e um mar de saltless não possa satisfazer para as exigências necessárias.
Quem, então, pôs isto aqui?

Terceiro: A sabedoria animal fala de um Criador bom que deu o instinto nas pequenas criaturas.

O jovem salmão gasta anos no mar, então volta para o próprio rio, e viaja o mesmo lado do rio no qual está o lugar onde nasceu. O que o dirige? Se você mudar o afluente ele saberá corrigri a rota e achar o lugar certo.

Masi difícil ainda é o mistério das enguias. Estas criaturas surpreendentes migram na maturidade de lagoas e rios em todos lugares – da Europa por milhares de milhas do oceano – indo todas para uma profundeza abismal
perto das Ilhas Bermudas. Lá elas criam e morrem. O filhote, sem meios aparentes de saber qualquer coisa,
a não ser que eles estão em um deserto de água, não obstante começam a nadar e acham o caminho para os mesmos lugares de onde seus pais vieram. Nenhuma enguia americana foi encontrada na Europa e nenhuma enguia européia nas águas americanas. A natureza demorou mais ainda a maturidade da Enguia européia por um ano ou mais para compensar sua jornada mais longa. De onde veio este impulso que as orienta?

Quarto: Homem tem algo mais que instinto animal – o poder de razão.

Nenhum outro animal alguma vez deixou um registro de sua habilidade para contar dez, ou até mesmo entender o significado de dez. Onde está o instinto, como uma única nota de uma flauta, bonita mas limitada, o cérebro humano contém todas as notas de todos o instrumentos na orquestra. Não é preciso explicar este quarto ponto; graças a razão humana podemos contemplar a possibilidade que nós somos o que somos porque temos uma centelha da Inteligência Universal.

Quinto: As provisões para todos os seres é vista como nas maravilhas de genes.

Tão minúsculos são os genes que, se todos os que são responsáveis pelos seres humanos fossem colcoados juntos, caberiam num dedal. Mesmo assim esses genes habitam toda célula viva e são as chaves a todo ser humano, animal e vegetal. Um dedal é um lugar pequeno para colocar todas as características individuais de quase 6 bilhões de humanos. Porém, os fatos estão além de qualquer pergunta.

Aqui a evolução realmente começa – na célula, a entidade que contêm e carrega os genes. O fato do minúsculo gene poder reger toda a vida na Terra é um exemplo da sabedoria que só poderia vir de uma Inteligência Criativa; nenhuma outra hipótese servirá.

Sexto: Pela natureza, nós somos forçados a perceber que há uma sabedoria infinita que preparou tudo com precisão.

Muitos anos atrás uma espécie de cáctus foi plantada na Austrália como uma cerca protetora. Não tendo nenhum inimigo de inseto em Austrália, o cáctus começou um crescimento bom; cresceu tanto que cobriu uma área do tamanho da Inglaterra, expulsando os habitantes das cidades e aldeias e destruindo suas fazendas. Buscando uma defesa, um entomologista viajou pelo mundo; finalmente ele viu um inseto que vivia só de cacto. Foi criado livremente, sem nenhum inimigo na Austrália. Controlando o cacto, acabou com a peste. Tudo isto por causa de um pequeno inseto, que controlou a grande praga do cacto.

Esse equilíbrio e balanço foram dados universalmente. Por que não há massas de insetos dominando a Terra? Porque não tem pulmão como o homem possui; respiram por tubos. Mas quando crescem esses tubos não crescem em relação ao tamanho do corpo. Conseqüentemente nunca houve um inseto de grande tamanho; esta limitação no crescimento os controlou. Se este controle físico não existisse, o homem não poderia existir. Imagine ver uma mosca tão grande quanto um leão!

Sétimo: O fato que o homem pode conceber a idéia de Deus é em si mesmo uma prova.

A concepção de Deus veio de uma faculdade divina do homem, única com o resto de nosso mundo – a faculdade que nós chamamos imaginação. Por seu poder, o homem pode achar a evidência de coisas não vistas. O poder da imaginação é ilimitado; realmente, como a imaginação do homem se torna uma realidade espiritual, ele pode discernir em tudo a evidência de desígnio e propósito da grande verdade sobre o céu; que Deus está em todos lugares e em nossos corações.

É cientificamente como também imaginativamente comprovado, como o salmista disse: Os céus declaram a Glória de Deus e o firmamento as obras de Suas mãos.

Fonte: http://www.rsl.ukans.edu/~pkanagar/divine/
Tradução: Emerson de Oliveira

Anúncios

Uma opinião sobre “SETE RAZÕES POR QUE UM CIENTISTA ACREDITA EM DEUS”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s